sábado, 28 de janeiro de 2012

CRÍTICAS


Conheço minhas virtudes
e não preciso, nem quero
que sejam anunciadas.

Conheço meus defeitos,
mas não o suficiente,
preciso e quero ouvi-los.
    

sábado, 21 de janeiro de 2012

CONTRADIÇÕES COERENTES

V

Meu corpo se vicia
na multidão.
Mas um silêncio,
quase evasivo,
firma-se no calçamento.

Minha alma se sacia
na solidão.
Mas um barulho,
alternativo,
calça-se no firmamento.
      

sábado, 14 de janeiro de 2012

CARTAS NA MESA


Pois saiba que agora
não vou mais mentir:
vou-me sem demora,
cansei de fingir.

Amor: assim eu te chamo,
entretanto, meu querido,
apenas te quis, não te amo;

mas, não fique ressentido:
eu juro que não reclamo
do sexo malsucedido.

Vá, procure alguém
bom para você;
pro seu próprio bem,
melhor me esquecer.
       

sábado, 7 de janeiro de 2012

PREÂMBULO


Ponto de partida de uma poesia,
versos experimentais
que não têm um futuro definido.
Uma construção poética
que não sei onde irá parar (se parar).
A busca sem limites
para se encaixar no lugar.
Lugar ainda indefinido
que um dia sei que vou encontrar.