sábado, 25 de fevereiro de 2012

A DOENÇA DO PLANETA

                  A Rodolfho de Aquino Lira

Não há dúvidas, não é uma neurose,
o aquecimento global é uma virose;
ele deixa os bens naturais ferozes
e é causador até da sua esclerose.
      

sábado, 18 de fevereiro de 2012

KIERKEGAARD


Fico esperando um ônibus,
ou quem sabe um disco voador,
para voltar para minha casa
onde vou sonhar com todos,
andar pelado e assistir TV.
Saiu da minha realidade
através de qualquer droga
que complete o meu vazio.
Ingiro mais um café amargo
para satisfazer a saudade,
com a esperança de voltar
a adoçar a bebida escura.
As tardes, aparentemente,
perdidas na estrada da vida
parecem ficar ainda maiores
quando a alma quer virar
uma porra-louca dopada.
         

sábado, 11 de fevereiro de 2012

HAICAIS ENSOLARADOS


Luz da salvação,
sol de uma constelação
de fogo sintético.

* * *

Levo à minha língua
sempre quando fico à míngua
dos sonhos mais loucos.

* * *

Levanto meu voo
sobre os anseios que coroo
diante desse sol.

* * *

Libero os instintos
sem dar conta que me sinto
doce qual você.
    

sábado, 4 de fevereiro de 2012

CINCO DIAS INÚTEIS


Eu começo a minha rotina
sabendo qual será a sina.
Eu não tenho alternativa:
se não me submeter, morro;
nem sequer tenho perspectiva
para pedir algum socorro.
— Triste começo de semana
para quem diz que não se engana.

Nessa terça-feira maldita
vou fazer tudo que me irrita.
Não perceberei o que fiz
farei tudo de forma tácita;
a vida fica por um triz
mas não percebo, sou uma máquina.
— Em escala industrial,
a solidão se fez normal.

Minha semana chega ao meio
e sou coberto por receios.
Talvez seja essa fadiga
(que escondo por fingir ser forte),
pois o meu corpo já mendiga
qualquer ajuda ou suporte.
— E sempre se repete tudo
enquanto o mundo fica mudo.

Juro que nessa quinta-feira
Viverei de outra maneira.
Será bem menos enfadonho,
mas será que tenho coragem
para perseguir o meu sonho
e romper essa engrenagem?
— Mas não basta apenas pensar,
difícil é concretizar.

Essa semana chega ao fim,
mas não é tão simples assim.
Esse ciclo de solidão
não para de se repetir,
nem preciso de previsão
para ver que não vou sorrir.
— A vida não produziu nada,
mas está bastante cansada.