sábado, 30 de novembro de 2013

HISTÓRIA DE AMOR


Imerso em seu mundo particular,
de repente, uma interrupção:
era só o amor batendo na porta
e implorando um lugar no poema.

Que fique com poucos poemas
e dê o ar da graça em mais alguns,
e que vá se arrumando por si só
na bagunça do mundo que foi criado.
   

14 comentários:

  1. História de amor encontra-se no e-book Pentágono.

    ResponderExcluir
  2. Visitante de primeira vista Fred.... Grande!

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    Vate rebelde de vidinha torta
    Que laços com esse mundo corta
    Mas, observem vocês
    Sem mais nem porquês
    Lá vem o amor bater-lhe à porta.

    ResponderExcluir
  4. Caramba, eu fiquei pensando na dificuldade que tenho em escrever "poemas de amor"...Porque o Amor é tanto além do que não se pode ver. Mas o Amor pede espaço nos poemas, sim. Guardei pra mim esse.

    beijos, Fred!

    ResponderExcluir
  5. O amor, de vez em quando, faz as vezes de estorvo, não, Fred? Desmancha a ordem estabelecida... Abraço apertado, amigo

    ResponderExcluir
  6. meus amores e meus poemas a única dupla que perdura.

    ResponderExcluir
  7. "se na bagunça do teu coração... meu sangue errou de veia e se perdeu..."

    lembrou-me desse poeta, poeta.

    ResponderExcluir
  8. Grande Caju, é sempre um deleite visitar sua página, mais uma bela obra!
    Abraço, sucesso e boa semana!

    ResponderExcluir
  9. Sempre uma alegria vir aqui, Caju!

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. To precisando disso, de um amor que arrume a bagunça do meu coração. Será que é possível?

    Bjos!

    ResponderExcluir
  11. Sempre tem espaço para amor na poesia

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!